Telefone:

(011) 97333-2909 | (011) 99006-4900

Emergência

24 horas

Agendar

Agende um Atendimento Aqui

Emergência

24 horas

Agendar

Agende um Atendimento Aqui

Você Sabe Reconhecer os Sintomas da Dependência Química?

Quando falamos em dependentes químicos, todos sabem do que se trata, mas você saberia reconhecer os sintomas da dependência química?

Como já vimos em artigos anteriores, a dependência química é uma doença crônica, e sendo assim, ela também possui sinais e sintomas que tornam ela visível.

Apesar de ser uma complicação de saúde muito séria, a dependência química não é um assunto muito debatido.

Por isso, neste artigo você terá algumas informações para tirar suas dúvidas sobre os sintomas da dependência química.

Dependência química: o que é?

Antes de falarmos sobre os sintomas da dependência química, é importante entender sobre o que se trata essa doença, que alguns preferem denominar de transtorno psicológico.

A dependência química, nada mais é do que o momento em que o organismo de uma pessoa já está tão conectado a uma substância, que já não pode mais ficar sem ela.

Porém, isso não acontece com qualquer substância, normalmente, acontece com substância que específicas que geram a sensação de vício no organismo.

As drogas no geral são um exemplo claro de dependência química, mas também podemos citar o alcoolismo como um tipo de dependência.

Quando nosso organismo já está viciado nesse tipo de substância, ele apresenta alguns sintomas quando não tem acesso a elas, esses sintomas são chamados de sintomas da dependência química, que vamos ver logo abaixo.

Quais são os sintomas da dependência química?

Como já vimos, os sintomas da dependência química aparecem no período de abstinência, mas eles podem aparecer também mesmo que o organismo esteja sob o efeito da droga.

Um dependente químico normalmente apresenta sintomas como:

  • Perda do interesse em tudo na vida, inclusive com o trabalho e estudos.
  • Mudança de identidade (normalmente, a pessoa calma vira agressiva, e o agressivo, fica ainda mais agressivo).
  • Perda da vontade de ter convívio social.
  • Sinais de depressão, ansiedade e desencadeamento de outros transtornos psicológicos.
  • Sensação de perseguição.
  • Desatenção.

 

E em relação aos sintomas que aparecem no corpo do dependente, podemos destacar alguns, como:

  • Perda radical de peso.
  • Distúrbios de imagem como anorexia e bulimia.
  • Muitas dores na região do abdome.
  • Vômitos e diarreia constantes.
  • Alucinações devido ao uso de substâncias químicas.
  • Confusão mental.
  • Alterações na memória (esquecimentos constantes).
  • Tolerância do organismo à droga usada (ou seja, cada vez mais precisa de doses maiores).
  • Perda do controle (não conseguir mais parar de usar as substâncias químicas).

 

Como procurar tratamento para dependência química?

Agora que você já entendeu quais são os sintomas da dependência química, você deve querer saber como se livrar deles.

A maneira mais eficiente para se livrar dos sintomas, é o tratamento em uma clínica de reabilitação.

Dificilmente uma pessoa consegue sozinha se sair da dependência química sem ajuda profissional. As chances de recaída são muito grandes.

A clínica de reabilitação, sejam elas particulares ou gratuitas, tem profissionais que lidam com a dependência química o tempo todo e são as melhores pessoas para te dar apoio nesse momento, além de sua família.

Existem clínicas de reabilitação espalhadas por todo o país, sendo assim, em qualquer lugar que você esteja, você ou seu familiar podem receber esse apoio.

Procure uma clínica em sua cidade, conheça a clínica e veja que lá apenas um local de recuperação, e a opção mais viáveis para superar os sintomas da dependência química.

Conclusão

Muitas vezes, os sintomas da dependência química passam despercebidos, inclusive por você. Sendo assim, se você faz uso de alguma substância química e se identificou com os sintomas, procure tratamento.

E, se você conhece alguém com esses sintomas, saiba que essa pessoa precisa urgentemente de ajuda. Lembre-se de nunca ser a pessoa que julga, mas a que dá apoio nesse momento tão difícil.