Por que meu familiar se tornou dependente do álcool

O que fazer com um familiar que tornou dependente de álcool, encontre tratamento especializado, Clínicas de Recuperação para alcoólatras em todo Brasil.

Muitas famílias possuem pessoas dentro delas que são dependente do álcool, algo que é muito mais comum do que se imagina.

Afinal, o álcool é uma droga do tipo lícita e que está em todos os lares do Brasil, além de ser comum em todo o mundo, seja qual for o tipo de bebida na qual está inclusa.

Sendo assim, muitas pessoas costumam questionar-se sobre os motivos de um familiar ter se tornado dependente do álcool.

Apesar de ser algo que traz muitas dificuldades e que muitas vezes é difícil de encarar, a dependência alcóolica precisa ser compreendida de uma forma mais aprofundada.

Existem muitos motivos pelos quais uma pessoa pode se tornar dependente do uso do álcool e entender a razão poderá ajudar você a tratar o seu familiar da forma certa.

Por tudo isso, nós resolvemos trazer aqui esse artigo contendo algumas dicas importantes sobre os motivos pelos quais seu familiar pode ter virado uma pessoa dependente de álcool.

Quer saber mais? Então não deixe de acompanhar esse texto até o final.

O que é a dependência alcóolica?

Antes de nós falarmos sobre o pode ter sido fator determinante para um familiar tornar-se um dependente do álcool, é preciso deixar claro o que é a dependência alcóolica.

Ter esse conhecimento é essencial porque muitas pessoas ainda veem o alcoolismo de uma forma errada, colocando a culpa inteiramente no dependente, como se ele tivesse chegado até ali apenas porque quis.

A dependência alcóolica ou o alcoolismo trata-se de uma doença, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem como característica principal o consumo de forma regular e excessiva de bebidas alcoólicas.

Apesar de a pessoa que é dependente do álcool ter problemas constantes relacionados com o consumo dessa substância, o dependente não consegue deixar de consumi-la.

A OMS recomenda que as pessoas não consumam mais de 20 gramas de álcool (o que seria em torno de 2 unidades/dia) e que passem pelo menos dois dias da semana sem consumir qualquer bebida alcoólica.

Dessa forma, entendendo a dependência do álcool como uma doença, a família de um dependente passa a ver a situação de uma forma diferente, entendendo que assim como em qualquer outra doença, seu ente querido precisa de tratamento.

Mas afinal, o que pode levar alguém a tornar-se dependente do consumo de álcool?

O que leva alguém a tornar-se dependente do álcool?

Primeiramente, é preciso deixar bem claro que o alcoolismo ou a dependência alcóolica, em geral, não é causada por um único fator.

Há dezenas de fatores que podem contribuir para que uma pessoa passe a consumir bebidas alcoólicas de maneira crônica e excessiva.

Entretanto, há sempre aquele que parece ter uma causa que pode ser considerada como a preponderante para que ele venha a desenvolver a dependência.

Fatores internos e externos podem contribuir para o consumo desenfreado do álcool, então quando você entende qual deles pode ser o principal causador da dependência, isso ajuda na busca por tratamento.

Nos próximos tópicos, trataremos sobre aqueles que podem ser considerados como sendo os principais motivos de alguém acabar desenvolvendo dependência no álcool.

Veja!

Fatores psicológicos

Os primeiros fatores a serem considerados aqui como causadores da dependência alcoólica são os psicológicos.

Infelizmente, esses fatores acabam tendo um grande impacto sobre as possibilidades de alguém vir a tornar-se alcóolatra.

Por exemplo, aquelas pessoas que sofrem com depressão, seja qual for o grau da doença, possuem muito mais chances de virem a desenvolver a dependência de álcool.

Isso ocorre porque elas procuram o álcool como uma forma de aliviar os sintomas da doença que possuem, o que acaba tendo um efeito reverso, já que ela passa a ficar dependente dessa substância.

Mas não são apenas as pessoas com algum grau de depressão que podem vir a tornar-se dependente do álcool.

Aquelas que possuem outras doenças psicológicas, tais como transtorno de ansiedade generalizada, ansiedade social, esquizofrenia ou transtorno bipolar possuem muito mais chances de passarem a consumi álcool de forma crônica.

Apenas para você ter uma ideia, estudos mostram que mais de 2/5 das pessoas que possuem transtorno bipolar tendem a abusar do consumo do álcool ou tornam-se dependentes dele.

Como dito, o principal motivo para essa maior probabilidade é o fato de que pessoas com doenças psicológicas, em geral, tendem a recorrer ao álcool como sendo uma forma de lidar com elas.

As pessoas que são esquizofrênicas, ao consumirem álcool, tendem a “acalmar” as vozes que ouvem em suas cabeças.

Por outro lado, quem sofre com depressão e consome álcool o faz como uma forma de elevar o humor e sentir-se mais feliz.

O tratamento dessas doenças de forma correta pode livrar uma pessoa da dependência alcóolica ou, quando feita de forma precoce, pode evitar o surgimento do vício.

Fatores genéticos

Você sabia que os fatores genéticos podem levar seu familiar a desenvolver a dependência do álcool?

Os estudos já demonstraram que poucos fatores sozinhos são tão capazes de levar alguém a desenvolver a dependência alcoólica quanto os genes.

Existem pelo menos 51 genes que são responsáveis pelo alcoolismo e que podem ser transmitidos de pais para filhos, como é o caso daquele responsável pela sensação ocasionada pelo álcool ou ainda pela ressaca após o consumo de bebidas alcoólicas.

Isso explicar porque algumas pessoas que possuem pais, avós ou outros familiares alcoólatras possuem mais chances de também desenvolverem esse vício.

Fatores ambientais

Os fatores ambientais podem vir a ser muito impactantes no desenvolvimento da dependência alcóolica, por isso há pessoas que desde pequenas já são expostas a um consumo desenfreado do álcool que pode ser desenvolvido na vida adulta.

Por exemplo, quem nasce em uma família na qual o consumo de álcool é feito de forma excessiva e é até mesmo estimulado tende a ter mais chances de desenvolver a dependência alcóolica.

Além disso, quem tende a ter mais dinheiro também costuma fazer uso de álcool de forma mais abusiva, podendo sim desenvolver o vício na substância.

O que fazer com um familiar que tornou-se dependente de álcool?

E o que fazer com uma pessoa da família que tornou-se dependente de álcool?

O melhor a fazer é conversar com ela e tentar, por meio do diálogo, convencê-la a realizar um tratamento contra o vício.

Isso inclui fazer com que essa pessoa procure uma clínica de recuperação para internar-se de forma voluntária, o que ajuda muito na recuperação de forma mais rápida e garantida.

Entretanto, como se sabe, nem sempre será possível fazer com que um dependente do álcool, de maneira voluntária, busque por auxílio, até mesmo porque é mais do que comum que ele não aceite ou reconheça a doença que possui.

Diante disso, muitas vezes a internação involuntária pode ser uma alternativa, quando todas as outras falharam em serem eficazes, para ajudar seu familiar com dependência em álcool.

Para isso, faça uma busca profunda a respeito das clínicas existentes, para assim decidir em qual ele terá o melhor tratamento e estará mais seguro para ter um processo de recuperação confortável e eficaz.

Conclusão

Como você viu, muitas famílias possuem pessoas que tornaram-se dependentes do álcool, porém elas não sabem o que pode ter levado esses entes queridos a acabarem com esse vício e na situação atual.

Neste texto, mostramos a você alguns dos principais motivos que podem levar alguém a desenvolver dependência em bebidas alcoólicas, de modo que esse conhecimento possa, inclusive, ajudar no tratamento do vício.

Assim, fique atento para saber por quais motivos um familiar seu possa ter desenvolvido esse vício de consumir álcool em excesso.

Gostou do artigo de hoje sobre por que meu familiar se tornou dependente do álcool?

Se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, escreva-a abaixo nos comentários para que eu possa ajudá-lo.

Participe da discussão

Compare listings

Comparar